à Deus.

por myselfoutforme

É tarde, eu sei. Mas desde o final de semana umas coisas sobre você me atormentam.
Escutei aquela música e lembrei de você.
Por alguns minutos fui revivendo um pouco de tudo com a memória.
Já tem tempo que não te vejo, nem falo com você. Não sinto necessidade, mas às vezes passo por lá procurando por notícias suas, quero saber como anda sua vida, o que tem feito, se está feliz. Eu estou! E a felicidade que eu sinto ultimamente, é a mesma que eu desejo pra você sempre.
Lá pra trás ficaram o amor, a saudade, a esperança de qualquer coisa. Depois de três longos anos, olha só o desfecho dessa história. Quem diria, hein?
Hoje em dia não me arrependo de tudo que aconteceu e do que deixou de acontecer, mas já me arrependi muito. E aprendi, sabe. Aprendi tanto! Que as coisas são como tem que ser, como devem ser. E eu não gosto de interferir, de forçar a barra.
Já confundi muito o meu passado com o meu presente, te imaginava muito no meu futuro, mas nem todos os planos deixam de ser planos.
Hoje eu só quero v-i-v-e-r. Da maneira mais mais sincera, delicada e cuidadosa comigo, e com os outros. Respeitando os meus sentimentos, sem ignorá-los. E “deixar o tempo das coisas fluir em paz”.
Não tenho certeza se isso é um adeus, mas te desejo toda a doçura dessa vida.
Sigo em frente com a certeza de que Deus sabe o que faz.
E, olha, se quer saber: eu guardo você comigo.

(Larissa Xavier)

Anúncios